Adams e Lavillenie são eleitos "Atletas do ano" pela Federação Internacional

22/11/2014 01:25

Arremessadora neozelandesa e saltador francês comemoram prêmio inédito 
para ambos em festa de gala realizada em Mônaco, nesta sexta-feira.

 
Eles são atletas com perfis diferentes. Mas a temporada vitoriosa dos dois termina da mesma forma. A Federação Internacional de Atletismo (IAAF) anunciou Valerie Adams (Nova Zelândia) e Renaud Lavillenie (França) como os vencedores do já tradicional prêmio de "Atleta do Ano" da entidade. A dupla recebeu o prêmio no palco da cerimônia de gala realizada em Mônaco, nesta sexta-feira, 21. Valerie manteve seu reinando no arremesso de peso, enquanto Lavillanie é um dos astros do salto com vara e, neste ano, atingiu feitos importantes como a quebra do recorde indoor, que pertencia ao lendário Sergey Bubka. A conquista do prêmio foi inédita para os dois.Na disputa final, Valerie Adams derrotou Genzebe Dibaba (Etiópia 1500m, 3000m) e Dafne Schippers (Holanda, 100m, 200m). O francês superou Mutaz Barshim (Catar, salto em altura) e Dennis Kimetto (Quênia, maratona). Aos 30 anos e uma das atletas mais fortes da modalidade, Valerie Adams não conteve o sorriso com o triunfo. Além do treinador e de sua fisioterapeuta, ela dedicou o troféu deste ano aos arremessadores do mundo.      

- Eu fui finalista no ano passado, estou honrada de estar aqui. Não só por mim, mas pelo meu país e toda a Oceania. É incrível. Estou representando os arremessadores de todo os lugares do mundo - vibrou Valerie.    Bicampeã olímpica, Adams é a atual referência do arremesso de peso. Em 2014, só aumentou seu reinado no esporte, ganhando tudo o que podia. No Mundial Indoor de Sopot, na Polônia, foi ao topo do pódio com o ouro, com a marca de 20,67m (melhor da temporada indoor). Mesmo enfrentando lesões no meio da temporada, ela superou as principais oponentes e ganhou seu quarto título consecutivo da Diamond League, em Bruxelas, quebrando o recorde da competição com 20,59m. Valerie é detentora das cinco melhores marcas da temporada.   

- Tudo veio de muito planejamento, mas também de toda a paixão que tenho. Tenho muito orgulho de representar o meu país. Amo o esporte e com paixão tudo fica mais fácil - afirma Adams.     

Praticamente em casa, o francês Renaud Lavillenie também era só sorrisos com o troféu. Atual campeão olímpico do salto com vara, ele também teve um temporada de êxitos. O principal deles, sem dúvidas, foi a quebra do recorde indoor de Bubka, de 1993, saltando 6,16m em fevereiro. Ele também manteve seu título europeu, ganhou a Copa Continental e obteve um série de vitórias na Diamond League.     Tenho certeza que (a quebra do recorde) contribuiu. Estou muito feliz. Não poderia ser melhor. Eu só posso aproveitar e ser muito grato com a família do atletismo. Foi extraordinário esse ano- disse   

O Prêmio de Atleta do Ano da IAAF existe desde 1988. Na ocasião, os americanos Carl Lewis e Florence Griffith-Joyner foram os vencedores da primeira edição. O astro Usain Bolt ganhou cinco dos últimos seis prêmios. No ano passado, ele venceu ao lado de sua compatriota, a jamaicana Shelly-Ann Fraser-Pryce.   MAIS 12 NOMES NO HALL DA FAMA   

O Hall da Fama da IAAF ganhou mais 12 nomes importantes para a história do atletismo mundial. A lista, que conta com o brasileiro Adhemar Ferreira da Silva, agora também tem: Valeriy Brumel, Glenn Davis, Heike Drechsler, Hicham El Guerrouj, Marita Koch, Robert Korzeniowski, Janis Lusis, Bob Mathias, Wilma Rudolph, Shirley Strickland de la Hunty, Lasse Viren e Cornelius Warmerdam.

Além disso, outros prêmios foram distribuídos. O prêmio de atleta master feminino foi para Lavinia Petrie, da Áustria. A fundista segue batendo recordes na sua categoria. No masculino, o premiado foi o alemão Guido Muller. Tom Tellez, dos Estados Unidos, recebeu prêmio pelo seu trabalho como técnico ao lado de Carl Lewis, por exemplo. A revelação do ano foi Wilhem belocian, da França, e a jovem Morgan Lake, do Reino Unido. Wilhem tem 19 anos, e venceu os 110m com barreiras no Mundial Júnior, batendo o recorde mundial na categoria. Lake, de 17 anos, vem brilhando no heptatlo.