Afastada pela IAAF, indiana é liberada pelo TAS para voltar a competir

28/07/2015 15:24

Alvo da Regra do Hiperandrogenismo, velocista Dutee Chand, de 19 anos, consegue vitória na Suíça e vai ter novamente a chance de disputar os Jogos do Rio em 2016.

O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) divulgou nesta segunda-feira sua decisão sobre o caso da indiana Dutee Chand. A atleta havia sido proibida pela Federção Internacional de Atletismo (IAAF) de competir com a justificativa de que seu corpo produz mais hormônios masculinos, em especial testosterona, do que o limite estabelecido. Agora, está liberada para voltar às pistas.

A decisão do TAS foi tomada pelo painel formado por Annabelle Claire Bennett, da Austrália, Richard H. McLaren, do Canadá e Hans Nater, da Suíça. Eles suspenderam por dois anos a Regra do Hiperandrogenismo até que a IAAF apresente evidência científica que relacione o fato ao aumento da capacidade atlética.

Com a decisão Dutee Chand, de 19 anos, poderá voltar competir em todos os níveis de competição. Ela é corredora de 100m e 200m rasos. Caso a IAAF não apresente tais evidências no período estabelecido, a regra será excluída. 

Recentemente, o Esporte Espetacular entrevistou a atleta durante o período no qual ainda estava afastada das pistas. Ela vive a expectativa de poder participa dos Jogos Olímpicos do Rio 2016.

- O que eu fiz de errado? Eu por acaso usei doping, trapaceei? Não é o caso. Então não posso aceitar que mexam no meu corpo. Sou uma criação de Deus, da natureza, e me sinto ótima como sou. Por isso decidi que aquilo não era uma sentença definitiva. Não para mim. Eu precisava fazer algo - disse Dutee.