Atletas buscam índices no Sul-Americano de Lima

11/06/2015 17:29

O Campeonato Sul-Americano de Atletismo, que começa nesta sexta-feira (dia 12) e prossegue até domingo (14), em Lima, no Peru, é uma aposta importante para alguns atletas que buscam os índices de qualificação para Campeonato o Mundial de Pequim, em agosto, na China.

Um exemplo é Luiz Alberto de Araújo, que disputa o decatlo no Estádio Atlético "La Videna", a partir das 11:30 (horário de Brasília), fazendo os 100 m, a primeira das 10 provas. Ele somou 8.034 pontos no Troféu Brasil Caixa, em maio, em São Bernardo (SP), e precisa de 8.075. "Fiquei muito perto, mas estou tranquilo. Tenho de fazer uma competição regular e posso somar mais pontos ainda", comentou o atleta na manhã desta quinta-feira (11) pouco antes de deixar o Hotel Los Delfines a caminho do treinamento no estádio.

O objetivo de Luiz Alberto é conseguir uma marca superior aos 8.100 pontos e assim assegurar também o índice para os Jogos Olímpicos do Rio2016. "É o ideal, pois aí podemos realizar um planejamento mais detalhado também para o ano que vem", completou o campeão brasileiro, já convocado para os Jogos Pan-Americanos de Toronto, em julho, no Canadá.

Pelo Programa Horário original, que poderia receber alterações depois da confirmação da participação dos atletas - o que só ocorreria no Congresso Técnico da competição, a partir das 21 horas de Brasília -, o Sul-Americano tem 16 finais previstas para esta sexta-feira - três pela manhã e 13 no período tarde/noite.

Enquanto atletas buscam índices, outros procuram resultados melhores e, principalmente, mais confiança. Este é o caso de Geisa Coutinho, que disputa nesta sexta os 400 m. Convocada para o PAN e qualificada para o Mundial e a Olimpíada, ela quer melhorar o tempo de 51.43, obtido no Troféu Brasil Caixa de Atletismo. "Sinto que posso ir melhor. Estou bem treinada e só espero que o frio da noite não me atrapalhe", comentou, referindo-se ao horário da final da prova, às 18:40 locais (20:40 em Brasília), nesta sexta.

Outro atleta animado para a final dos 110 m com barreiras é Eder Souza, também convocado para o PAN e qualificado para o Mundial e a Olimpíada. "Gostei muito da pista. Ela é parecida com a de Belém, um pouco dura, o que ajuda nas corridas curtas. Treinei lá e saí mais confiante ainda", lembrou o atleta.

O Brasil conta com uma equipe de 43 atletas na competição, sendo 22 homens e 21 mulheres, após o pedido de dispensa de Felipe Santos, Pedro Burmann, Keila Costa e Altobeli Santos. É uma delegação pequena se comparada às que participaram das últimas edições, com mais de 70 integrantes.

O objetivo, de qualquer forma, é buscar manter a hegemonia no torneio continental. Dos 48 já disputados, a equipe masculina tenta a 22ª vitória consecutiva e a 30ª da história. Já no feminino, cuja disputa começou em 1939 - 20 anos depois -, as brasileiras buscam a 23ª conquista seguida e a 30ª de todos os tempos em 38 edições.