Atletismo Brasileiro apresenta jovens revelações no Mundial de Revezamentos

23/05/2014 10:31
Bahamas - Os velocistas Vitor Hugo dos Santos e Tamiris de Liz, ambos com 18 anos, ainda são juvenis. Mas a juventude, no caso, é apenas um detalhe. Os dois já fazem parte da elite do Atletismo Brasileiro e, por isso, integram a Seleção que disputará o Mundial de Revezamentos, neste fim de semana, dias 24 e 25, no Estádio Thomas A. Robinson, em Nassau, nas Bahamas.

O carioca Vitor Hugo comemorou aniversário no dia 1º de fevereiro e vive o seu primeiro ano como juvenil (até 19 anos). Chega credenciado pela medalha de prata conquistada no ano passado nos 200 m do Campeonato Mundial de Menores, realizado em Donetsk, na Ucrânia.

"Estou muito feliz por conviver com atletas consagrados no mundo todo. É uma experiência muito importante para o meu futuro", comentou o atleta, recordista sul-americano de menores nos 100 e nos 200 m, com 10.36 (1.4) e 20.67 (-1.0).

Seu foco principal nesta temporada, além do Campeonato de Revezamentos, é o Mundial de Juvenis, que será disputado em julho, em Eugene, nos Estados Unidos. Ele já está qualificado nos 100 e nos 200 m. "O objetivo é treinar muito e competir bem para ficar entre os melhores", completou.

A catarinense Tamiris de Liz fará 19 anos em 18 de novembro próximo e está na última temporada como juvenil. Ela tem no currículo duas medalhas de bronze conquistadas no Mundial de Juvenis de Barcelona, em 2012: 100 e 4x100 m. Precoce, integrou no mesmo ano a delegação de Atletismo na Olimpíada de Londres, como reserva do 4x100 m.

"Estou numa fase de querer mais. Quero correr e espero estar entre as titulares nos Jogos Olímpicos do Rio em 2016", disse a velocista animada com a nova etapa de sua vida: desde janeiro mora e treina em Miami, nos Estados Unidos, juntamente com Rosângela Santos e Evelyn dos Santos.

"Tenho uma oportunidade incrível para crescer no esporte. Na Universidade de Miami contamos com excelente infraestrutura", concluiu a atleta, qualificada para os 100 m no Mundial de Eugene. "Ainda vou buscar o índice nos 200 m para os Estados Unidos."

Boa expectativa
O Mundial de revezamentos foi instituído pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) no congresso da entidade em 2013 em Moscou. Essa é a primeira edição, e a segunda, em 2015, também será nas Bahamas.

"Esta competição é totalmente diferente das outras. Não tem provas individuais. Os atletas formam uma equipe do começo ao fim", lembrou Ricardo D'Angelo, treinador-chefe da Seleção. "As quatro equipes brasileiras participaram de campings de treinamento e de competições. Fizemos o dever de casa e a expectativa é muito boa para o Mundial", afirmou o técnico.

Os Campings foram realizados em parceria entre a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), que conta com o patrocínio da CAIXA, e o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), além de recursos do Plano Brasil Medalhas do Governo Federal e da CAIXA.

O objetivo é ficar entre os oito finalistas no 4x100 m e no 4x400 m masculino e feminino. Nas listas de equipes inscritas, divulgadas pela IAAF, o Brasil está bem no Ranking de 2014. É o 3º colocado no 4x400 m masculino entre 20 países e o 5º no 4x100 m, da mesma categoria, entre 22. No feminino, o País está em 6º no 4x100 m entre 19 e em 7º entre 13 no 4x400 m.

"Essas informações servem para a distribuição das equipes nas séries preliminares, o que é importante. Claro que muitos países ainda não marcaram tempos nesta temporada e não estão no Ranking", ressalva D'Angelo.

Os Estados Unidos, uma das potências nos revezamentos, confirmou atletas importantes, como LaShawn Merritt, Christian Taylor e Sanya Richards-Ross.