Atrás de índice para o Mundial, Franck e Marílson disputam prova na Holanda

18/10/2014 11:23

Maratonistas competem em Amsterdã, com o objetivo de conseguir vaga para o Mundial da China, no ano que vem. "Tudo vai depender do clima", afirma Marilson.

 

Dois dos principais corredores do país, Marílson Gomes e Franck Caldeira, estão em Amsterdã, na Holanda, para a disputa da maratona da cidade. A prova já valerá como seletiva para o Campeonato Mundial de 2015, na China, e para os Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá. Para Marílson, a corrida será muito difícil e o clima decidirá o ritmo de prova: 

- A Maratona de Amsterdã é super importante. É uma maratona com bons resultados, mas tudo vai depender do clima. Costuma ventar muito em Amsterdã e a gente tem de contar um pouco com a sorte, torcer para não ventar tanto e contra, e correr com um grupo mais homogêneo, bem equilibrado, que isso me ajudaria bastante - disse o bicampeão da Maratona de Nova York.

O índice para o Campeonato Mundial é 2h18m00, considerado tranquilo para atletas de alto nível. O "problema" para os brasileiros é que mais de três atletas costumam fazer a marca mínima para as principais competições:

- O problema na maratona não é fazer os índices, mas ficar entre os três. Mais de três fundistas brasileiros vão fazer o índice, com certeza. Por isso, é importante fazer um tempo bom, para ficar entre os melhores do Brasil -  afirmou Marílson, que tem como recorde na carreira 2h06min34.Já o Mineiro Franck Caldeira tem como principal objetivo correr abaixo de sua melhor marca na carreira, que é de 2h12mi03, feita em Milão, na Itália, em 2012. O técnico Ricardo D'Angelo está confiante no resultado:

 - Ele não correu muito bem no Troféu Brasil, atrapalhado por um espasmo na coxa. Mas correu as 10 Milhas, em Washington, nos Estados Unidos, no último domingo (12/10) e ficou em terceiro. Estou bem confiante de que possa melhorar sua marca, de 2h12min03 - afirmou o treinador