Atraso nas obras faz COI intervir na Olimpíada do Rio-2016

10/04/2014 14:08

O presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, mostrou sua preocupação com o atraso nas obras do Rio de Janeiro.

 

O presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, mostrou sua preocupação com o atraso nas obras do Rio de Janeiro e anunciou uma intervenção na preparação da capital carioca para o evento, que acontece daqui a dois anos, e irá assumir boa parte do comando dos JogosBach disse que Gilbert Felli, diretor executivo do COI dos Jogos Olímpicos, está sendo enviado ao Rio de Janeiro vários meses antes do esperado para ajudar a comandar as construções, que ficaram paralisadas seis dias por uma greve trabalhista.

"Nós acreditamos que o Rio de Janeiro pode e irá entregar um ótimo evento se essas ações apropriadas forem tomadas como estão sendo agora. O que eu posso dizer é que faremos tudo possível para fazer destes Jogos um sucesso", afirmou Bach, em entrevista na Turquia, onde desviou a resposta ao ser perguntado se o evento poderia sair do Rio de Janeiro.

A pouco mais de dois anos da Olimpíada, a principal preocupação é com o Complexo Esportivo de Deodoro, que sediará oito modalidades, nem sequer começou a ser construído. Por causa disso, as 18 federações esportivas presentes na assembleia fizeram questionamentos e pediram um plano B. A única entidade que não reclamou foi a de vôlei. Os problemas fizeram o COI cogitar inclusive que alguns jogos de basquete, a princípio marcados para Deodoro, sejam disputados em São Paulo.