Blanka Vlasic vai fácil à final do salto; favorito deixa os 800m de maca

27/08/2015 17:04

Ayanleh Souleiman sofre lesão e precisa de auxílio médico para deixar a pista no Ninho do Pássaro. Brasil soma eliminações no salto em distância, disco e barreiras.


Uma série de graves lesões e cirurgias mal sucedidas tirou Blanka Vlasic das Olimpíadas de 2012 e do Mundial de Moscou, em 2013. Nesta quinta-feira, a croata voltou às competições de grande porte exibindo a boa forma que costumava desfilar quando se sagrou bicampeã mundial. Acertou os três saltos que fez na primeira tentativa e, com 1,92m, alcançou a marca necessária para avançar à final do salto em altura feminino.

 

Sinto-me muito bem de ter conseguido, especialmente porque ainda não me sinto 100%. Tive uma lesão muito séria e queria tanto vir... Desisti de muitas competições, abri mão até de alguns treinos para manter meu tendão de Aquiles fresco. É tudo familiar, não tem nada novo, mas as circunstâncias tornam este Mundial especial. Acho que vou ter que saltar acima de 2,00m para ir ao pódio – disse a croata, dona da segunda melhor marca da história no esporte (2,05m).

Se Blanka deixou a área de competição no Ninho do Pássaro, um incidente quase simultâneo ao seu último salto marcou a sessão da manhã (madrugada no Brasil) desta quinta-feira de forma triste. Medalhista de bronze em Moscou e um dos candidatos ao pódio nos 1.500m masculino, Ayanleh Souleiman sofreu uma lesão muscular e caiu na pista se contorcendo de dor. Sem condições de aNo lançamento de disco, Ronald Julião acertou as três tentativas a que tinha direito e teve 61,02m como melhor marca. Ficou em 14º lugar entre os 15 atletas da sessão e no21º geral. Nos 100m com barreiras, Fabiana Moraes correu 13s35 e despediu-se na 32ª colocação geral, duas atrás da compatriota Adelly Santos, que cravou 13s29.ndar, o atleta do Djibuti, pequeno país no nordeste da África, foi retirado de maca da pista, chorando. O salto em distância feminino contou com três representantes do país. Keila Costa, finalista em Pequim no salto triplo, foi a melhor colocada. Saltou 6,32m e despediu-se na 26ª posição – não gostou, e deixou o estádio chorando. Tânia da Silva saltou 6,18m e ficou em 28º lugar, enquanto Eliane Martins queimou suas três chances e ficou sem marca.