Bolt é contra zerar recordes mundiais para limpar o atletismo: "Inútil"

17/01/2016 17:46

Dono das três melhores marcas nos 100m, 200m e 4x100m, jamaicano seis vezes campeão olímpico pede que se olho para o futuro: "O que foi feito está feito".

Seis vezes campeão olímpico, Usain Bolt diz ter ficado triste e chocado com o escândalo que atingiu a IAAF. O jamaicano, porém, é contra a proposta de zerar os recordes mundiais para superar a crise do doping, lançada pelo Reino Unido. Bolt é dono das melhores marcas do mundo nos 100m (9s58) e 200m (19s19), ambos alcançados em 2009, e também do revezamento 4x100m (36s84), de 2012. 

- Na minha opinião é realmente inútil. O que foi feito está feito, você só tem que seguir em frente e tentar fazer com que nos próximos Jogos Olímpicos e campeonatos  os próximos recordes mundiais sejam registrados da melhor forma que pudermos, e que apenas olhemos para o futuro. Você não pode se preocupar com o passado, mas tentar construir o futuro - disse o jamaicano à agência de notícias Reuters.    

+ Investigação alega que IAAF vendeu votos para candidatura de Tóquio
+ Corrupção, nepotismo e relação com Putin: novo relatório expõe mais a IAAF
+ Documento revela que IAAF alertou russos sobre doping em 2009
+ IAAF define condições contra doping para liberar russos para Rio 2016
+ Escândalo de doping do atletismo russo: perguntas e respostas

Na última segunda-feira a Federação de Atletismo do Reino Unido (UK Athletics) lançou o "Manifesto pelo Atletismo Limpo", pedindo que todos os recordes mundiais sejam anulados e atletas flagrados nos exames antidoping sejam suspensos do esporte por pelo menos oito anos. Para Bolt, a IAAF falhou com os atletas: 

- Eu fiquei em choque quando ouvi isso porque, mesmo que eu esteja preocupado, eu acho que eles estão fazendo um bom trabalho para limpar o esporte. Mas ouvir isso me deixou bem chocado e você se sente desiludido como um atleta que está realmente querendo ajudar a limpar o esporte. É uma espécie de desilusão, por isso espero que não aconteça tal coisa, mas vamos ver o que acontece.