Bruno Lins lamenta erro individual em Mundial e projeta novas conquistas

08/05/2015 10:05

Após conquista do quarto lugar, velocista justifica atraso de dois décimos cometido por ele na prova dos 4x100m: "Fiquei no bloco porque ouvi na arquibancada um apito".

 

"Foi falta de concentração da minha parte." Esta foi uma das declarações do velocista Bruno Lins para justificar o atraso de dois décimos cometido por ele na prova dos 4x100m durante o Mundial de Revezamento, em Nassau, nas Bahamas. A equipe conquistou o quarto lugar e garantiu vaga nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Mas para o atleta, o erro custou um melhor desempenho para o time nacional, que brigava diretamente com os Estados Unidos, Jamaica e Japão pelas três primeiras colocações na prova. 

- Nesse tipo de prova, cada detalhe faz a diferença. Fiquei no bloco porque ouvi na arquibancada um apito e tinha que ser a "última forma" (quando o árbitro solicita que todos os atletas saiam de suas posições), mas isso foi um erro meu, até porque, não importa quem está na arquibancada. Foi falta de concentração da minha parte. Deveria ter pedido mais silêncio para a arbitragem, os torcedores estavam muito empolgados na final e cada vez que passava uma imagem do Usain Bolt, eles gritavam desesperadamente - explicou o velocista durante treino desta quinta-feira (7), em Presidente Prudente.

Mesmo assumindo parte da culpa no resultado final dos brasileiros, Bruno Lins aponta outros desacertos durante a prova que contribuíram para a conquista da quarta colocação. Mesmo assim, prefere elogiar os companheiros e projeta novas marcas nas próximas competições.

- As nossas passagens também não foram boas e não foram rápidas como fizemos nos treinos, acho que foi uma sequência de erros. Corremos abaixo do que esperávamos. É triste, mas temos que levantar a cabeça, pois temos os Jogos Pan-Americanos e o Mundial também. Apesar de tudo, o nosso resultado foi excelente, ficamos em quarto mais uma vez e vamos trabalhar para subir no pódio na próxima. O nosso time é guerreiro, temos que continuar buscando essa medalha, uma hora ela vem. 

De volta a Presidente Prudente, cidade do interior de São Paulo onde treina e mora, o velocista já retomou os treinamentos e traça uma nova meta: um bom desempenho no Troféu Brasil, que será realizado no Ibirapuera, em São Paulo, de 14 a 17 de maio. Praticamente garantido nos Jogos Pan-Americanos, Bruno Lins ressalta a importância de melhorar ainda mais os seus índices individuais.  Estamos em reta final de preparação. Tanto que os treinos estão sendo bem curtos, em torno de 40 minutos, visando o descanso para poder chegar em melhor condição. O Troféu Brasil é muito importante, vale índice para o Pan-Americano e consequentemente para o Mundial. Tenho o índice dos 200m, mas tenho que confirmar, porque corri 20s46 e é uma marca muito perigosa. Se três atletas fizeram abaixo desse tempo, fico de fora. Então, tenho que correr bem para garantir a vaga. A minha marca é boa, mas não é o que preciso hoje para me manter bem no ranking e para ter tranquilidade para trabalhar até o Pan-Americano e Mundial.

Experiente, o atleta de 28 anos afirma que o segredo para o sucesso nas pistas consiste em não se preocupar com o dia seguinte. Segundo ele, algumas metas devem ser estabelecidas e o trabalho deve ser feito dia após dia.

- Não adianta se preocupar com o Mundial se antes tem o Pan e nem com as Olimpíadas se antes tem o Pan e o Mundial. Então, tem que ser etapa por etapa. Neste momento, a minha cabeça está voltada para o Troféu Brasil, para que eu possa correr bem e fazer boas marcas, e seguir esta sequência. A prioridade é ter tranquilidade, foco e estabelecer as metas, e não deixar a pressão subir para a cabeça.