Causa nobre e 'quenianos flutuantes': inspirações de Edward Norton em NY

31/10/2013 17:04

Na semana da prova mais famosa dos Estados Unidos, o ator comemora a iniciativa que já fez a corrida arrecadar mais de 100 milhões para caridade

O ator Edward Norton se tornou maratonista por uma causa nobre. Presidente para os Estados Unidos da Maasai Wilderness Conservation Trust (MWCT ), queria arrecadar fundos para a organização que se dedica a conservar os ecossistemas e a biodiversidade no leste da África.

- Tirar as pessoas da pobreza de uma maneira que seja também sustentável para a ecologia é uma das minhas preocupações mais importantes – declarou ao site da rede de lojas Century 21.

A identificação com a organização surgiu após uma viagem ao Quênia, onde teve também a oportunidade de correr ao lado do povo Maasai. Mesmo usando tênis de última geração, especialmente pensado para o terreno de terra e pedras, Edward Norton ficou literalmente comendo poeira dos quenianos, com suas sandálias feitas de velhos pneus de motocicletas.

- Eles me inspiraram. Corriam de forma tão natural que pareciam flutuar no ar. Foi ali que decidi correr a Maratona de Nova York –contou em vídeo.

Faltava encontrar uma maneira de arrecadar fundos com a corrida, e foi assim que surgiu o site CrowdRise. Através dele, qualquer pessoa pode fazer doações para uma instituição de caridade em que confie, em troca de inscrição para corridas nos Estados Unidos.

- Juntamos um grupo de 30 pessoas, contando comigo e o projeto foi um sucesso. A ideia se disseminou e, em apenas 40 dias, foram arrecadados 1,5 milhão de dólares para a MWCT – comemorou.

Três guerreiros Maasai participaram da Maratona de Nova York de 2009 junto com o grupo, e só na última hora concordaram em correr com tênis do patrocinador ao invés das sandálias de pneus. Edward Norton não quis se vestir com a roupa típica dos africanos, mas terminou a prova como um "guerreiro" em 3h48m01.

- Foi um desafio físico muito grande, mas uma incrível experiência espiritual. Os nova-iorquinhos formam um verdadeiro cinturão de incentivo que mostra o espírito da cidade –disse.

Mais do que o tempo pessoal na prova, o ator comemora que o CrowdRise tenha se transformado em um modelo para várias provas, através do qual já foram arrecadados mais de 100 milhões de dólares em três anos. E espera que, depois da decepção de ter a prova cancelada pela passagem do furacão Sandy, em 2012, a edição 2013 bata o recorde também nesse quesito.

- Queremos que seja o ano da recuperação, que seja a maior arrecadação de todos os tempos na Maratona de Nova York. Aproveito para lembrar que qualquer corredor ou expectador, de qualquer lugar do mundo, pode fazer sua doação através do site – disse o ator, completando que gostaria de voltar a correr os 42km um dia.