Confederação brasileira anuncia mais um caso de doping no atletismo

08/07/2014 21:22

Elias Rodrigues Bastos foi pego em exame com a substância Metiltestosterona.

Corredor de provas de meio fundo e fundo, Elias Rodrigues Bastos foi pego no exame antidoping feito pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) durante a Golden Four Asics, disputada no último dia 6 de abril. A substância proibida encontrada na urina do atleta foi Metiltestosterona - Metabólitos (Anabólico Esteróide Exógeno - S1A).

Elias abriu mão do exame da amostra "B" da sua urina e, em função disso, a CBAt suspendeu o atleta provisoriamente a partir da última segunda-feira, dia 7 de julho. O corredor tem 14 dias para solicitar o julgamento pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

O atleta de 39 anos tem como melhor tempo na maratona 2h12min08, feito em Milão, no ano de 2000, quando tentava índice para as Olimpíadas de Sydney. Sua melhor marca nos 10 mil metros foi em 2000, em Cubatão, com o tempo de 29m18s98.

Veja a nota completa da CBAt

A Confederação Brasileira de Atletismo lamenta informar que o laboratório credenciado pela WADA/IAAF, com sede em Montreal, Canadá, comunicou a esta entidade, no dia 30 de maio de 2014, que identificou na amostra de urina "A" do atleta ELIAS RODRIGUES BASTOS (SP), coletada no dia 06 de abril de 2014, na cidade do Rio de Janeiro, RJ, durante a prova "Golden Four Asics", a presença da substância proibida "Metiltestosterona - Metabólitos (Anabólico Esteróide Exógeno - S1A)".

Em conformidade com o disposto nas normas da WADA/IAAF, o atleta foi comunicado em 04 de junho de 2014 do resultado analítico adverso na amostra "A" de sua urina, coletada no evento acima, pela CBAt, tendo apresentado suas justificativas no dia 09 de junho de 2014 as quais não foram aceitas pela CBAt, conforme comunicado ao atleta em 07 de julho de 2014. O atleta abriu mão do exame da amostra "B" de sua urina. Em função desses fatos, a CBAt emitiu Portaria nesta data suspendendo o atleta provisoriamente a partir de 07 de julho de 2014, tendo o mesmo 14 dias a contar dessa mesma data, para solicitar o seu julgamento pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da CBAt, ainda em conformidade com as Regras da IAAF.