Em Pequim, Fabiana ganha quarta medalha em Mundiais de Atletismo

26/08/2015 21:13  Estávamos já na madrugada desta quinta-feira (dia 27) em Pequim, quando o treinador Elson Miranda chegou aoKUN TAI HOTEL, depois de rodadas de entrevistas no Ninho do Pássaro, após a conquista do pódio no salto com vara por Fabiana de Almeida Murer, sua mulher e pupila.

Fabiana e o médico Cristiano Laurino ficaram no estádio, onde a saltadora campineira passaria pelo controle de doping, rotina para todos os ganhadores de medalha no Campeonato Mundial de Atletismo, que começou no sábado na capital chinesa (22) e vai até o próximo domingo (30).

"Fabiana fez uma das mais belas exibições de suaCARREIRA, conseguiu o máximo de aproveitamento", reconhecia o experiente jornalista espanhol Antonio Diego, veterano em coberturas dos principais eventos do Atletismo mundial.

Na verdade, Fabiana não apenas igualou seu recorde pessoal, ao marcar 4,85 m, como tornou-se a número 1 do Brasil na história dos Campeonatos Mundiais. Agora ela tem quatro medalhas: ouro (Daegu 2011) e prata (Pequim 2015) em Mundiais em estádio e ouro (Doha 2010) e bronze (Valência 2008), em Mundiais indoor.

Além dela apenas o antigo meio-fundista Zequinha Barbosa, nas décadas de 1980 e 1990, subiu em quatro pódios em Mundiais (prata e bronze em estádio, ouro e prata em ginásio).

"Acertei nas previsões", brincou Fabiana. De fato, ela dissera que a campeã faria 4,90 m, que afinal foi a marca da cubana Yarisley Silva, ganhadora da medalha de ouro. Previu também que 4,80 m daria medalha, e foi a marca que deu o bronze à grega Nikoleta Kyriakopoulou.

"Quanto a mim, estou feliz porque, aos 34 anos, igualei pela segunda vez minha melhor marca", lembrou a atleta, que saltou 4,85 m pela primeira vez ao ganhar o Campeonato Ibero-Americano em San Fernando, na Espanha, em 2010. Depois, igualou a marca no Mundial de Daegu, na Coreia do Sul, um ano depois, quando conquistou o título.

"Foi um ano muito bom, desde o começo, quando saltei 4,83 m e bati meu recorde sul-americano indoor depois consegui várias vitórias na Liga Diamante", lembrou a atleta.

"Agora vamos terminar a temporada e começar a preparação mais especificamente para a Olimpíada do Rio em 2016", falou Fabiana. Elson Miranda praticamente já tem o programa de treinamentos e competições pormenorizado: "O mais importante agora não é a intensidade dos treinos, que pode ser desgastante, é preciso qualificar as atividades", ele afirmou.

Isso significa, continuou o técnico, "participar de alguns Meetings da temporada indoor, depois do evento teste da Olimpíada (Campeonato Ibero-Americano em maio, no Engenhão), aí vamos à Europa para uns quatro torneios da Liga Diamante". Depois disso, Brasil.

Elson Miranda e Fabiana Murer agradeceram os apoios dos patrocinadores (Governo Federal, COB, CAIXA, Nike, CBAt) e do cube (BM&FBovespa). "Temos local adequado para treinar, em São Caetano do Sul (sede do clube) e equipe de apoio (do Programa Bolsa Pódio), de forma que pudemos fazer a preparação adequada para este Mundial, 
que faz parte também do planejamento para os Jogos do Rio", concluiu Elson.

O presidente da CBAt José Antonio Martins Fernandes deu os parabéns à Fabiana e ao Elson, assim como a toda a equipe de apoio aos atletas em Pequim. "Foi um excelente desempenho dela e de toda a equipe. Espero contar com ela com essa mesma dedicação nos Jogos Olímpicos do Rio 2016. Sei que ela fará isso, porque já mostrou ao longo de toda aCARREIRA essas virtudes", observou.