Filho do presidente da IAAF é banido por envolvimento com corrupção

07/01/2016 15:23

Massata Diack, ao lado de dois dirigentes, teria recebido R$ 2,8 mi para esconder doping de atleta: "Qualquer castigo menor não responderia a gravidade dos delitos".

A comissão de ética da IAAF (Federação Internacional de Atletismo) anunciou na manhã desta quinta-feira o banimento de três funcionários, entre eles Massata Papa Diack, filho do presidente da entidade. O motivo seria o envolvimento do citado nos recentes casos de doping e corrupção na Federação. Os outros suspensos foram os russos Valentin Balakhnichev, tesoureiro da entidade até 2014, e Alexei Melnikov, ex-presidente da Federação Russa. 

LEIA MAIS

+ IAAF define condições contra doping para liberar russos para Rio 2016
+ Escândalo de doping do atletismo russo: perguntas e respostas

O trio não poderá se envolver nunca mais em negócios ligados ao atletismo. Segundo a Comissão de Ética, o banimento é irrevogável:

- Essa é sanção. Qualquer castigo menor não responderia a gravidade dos delitos - informou a Comissão.

Diack, Melnikov e Balakhnichev estão relacionados, entre outras questões, com o valor de quase 600 mil euros (cerca de R$ 2,8 mi) repassados supostamente pela russa Liliya Shobukhova, vencedora da Maratona de Londres, que teria pago a quantia para esconder suas violações no código antidoping.