IAAF rebate cientistas por alegações

08/08/2015 12:59

Em nota, entidade máxima do atletismo se defende de acusações recentes e 
diz que especialistas terão que provar ou se retratar diante de polêmica recente.

Para os especialistas, os documentos teriam mostrado um ''alcance de trapacear'' e despertou suspeitas.

- Eles (cientistas ) não tiveram acesso aos registros de testes da IAAF e não são, portanto, capazes de saber se o teste foi conduzido corretamente - respondeu a entidade, em nota.

Saiba mais:
Wada fará investigação urgente para apurar caso

Coe vê polêmica como ''declaração de guerra''

A reportagem do jornal inglês “Sunday Times” e da emissora alemã “ARD/WRD” apontaram suspeitas de que a IAAF estaria encobrindo centena de casos de doping. As publicações tiveram acesso a 12 mil exames de sangue de cinco mil atletas.

As publicações mostraram que um terço das medalhas (146, sendo 55 de ouro) dos grandes eventos, como Mundiais e Olimpíadas, entre 2001 e 2012, parou no peito de competidores com testes suspeitos. Dez dessas 146 medalhas foram distribuídas nos Jogos de Londres, em 2012. 

A IAAF rebateu todas essas acusações. Também por meio de um comunicado oficial, a entidade disse que o relatório feio pelos cientistas contém uma série de informações incorretas e criticou o fato de Parisotto e Ashenden continuarem mantendo as afirmações. 

- Se esses cientistas têm evidências de que a IAAF não deu seguimento para amostras suspeitas, devem colocar isso imediatamente à disposição da comissão da Agência Mundial Antidoping (WADA). Se não tem provas, pedimos que eles abstenham de fazer afirmações de irregularidades.

No fim da próxima semana, a IAAF terá uma reunião de seu conselho, em Pequim. A capital chinesa também receberá a principal competição do atletismo no ano, o Mundial, entre os dias 22 e 30 de agosto.