Jadel questiona resultado do atletismo no Pan: "Por que só treinam no Brasil?"

28/07/2015 15:31

Aos 34 anos, Jadel Gregório não garantiu vaga em Toronto; através das redes sociais, ele critica os técnicos brasileiros. Confederação decide não comentar.

Medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2007, Jader Gregório não apareceu na lista dos convocados para Toronto neste ano. Através das redes sociais, o paranaense criticou o resultado do atletismo brasileiro na edição 2015 do Pan. Os convocados brasileiros para o salto triplo foram Jefferson Sabino e Jean Rosa. Via Facebook, Gregório questionou os treinadores do atletismo.

-SOBRE resultados, perguntem aos técnicos e atletas. Por que não competem fora do país em circuito europeu? Por que só treinam e competem Troféu Brasil? Para garantir os salários? Fazer o tal índice e "festar" (sic) depois? Ou não expor os belíssimos resultados para quem não tem tanto conhecimento sobre o assunto? - criticou Gregório no post.

O GloboEsporte.com procurou a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) para comentar o assunto. Através da assessoria de comunicação, a CBAt informou que não vai se manifestar no momento. 

O cubano Pedro Pablo Pichardo levou medalha de ouro no salto triplo no Pan, mas sem bater o recorde de João do Pulo. Jefferson Sabino foi o melhor brasileiro na prova, terminando em quinto lugar, com a marca de 16,43m. Jean Rosa terminou em último: 15,79m. 

Leia mais:
Veja como ficou o quadro de medalhas dos Jogos Pan-Americanos

Aos 34 anos de idade, Jadel Gregório tem noCURRÍCULO, além do ouro no Pan do Rio, uma medalha de prata no Mundial de Atletismo de 2007 e outra prata no Pan de 2003. Até hoje é dele o recorde sul-americano do salto triplo, com a marca de 17,90m, de 2007.

Equipe fala em Pan mais forte

A equipe de atletismo brasileira conquistou 13 medalhas no Pan, sendo seis pratas, seis bronzes e apenas um ouro (com Juliana dos Santos). Os números ficaram bem abaixo de Guadalajara, em 2011, quando conquistou 23 medalhas no total, com 10 ouros.

Nélio Moura, técnico chefe do time brasileiro,justificou os números de Toronto.

- Esperávamos desde o início uma competição forte, mas acabou sendo mais forte ainda do que imaginávamos, com alguns resultados excelentes - analisou Nélio Moura.

Magnólia Figueiredo, chefe da equipe de atletismo do Brasil, também fez um balançoSOBRE a participação em Toronto.

- Acho que o torneio de atletismo foi uma competição muito boa porque teve a participação de excelentes atletas. Temos mesmo de participar de eventos fortes para avaliar a nossa real situação - declarou.

Antonio Carlos Gomes, superintendente de alto rendimento da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), destacou uma melhora de todos os países no esporte.

- As marcas melhoraram no mundo todo. Diante desse panorama, temos os resultados que vimos aqui. Resultados bons, mas alguns alguns resultados de nível internacional também. Ao meu ver, algumas provas estão muito boas. Outras nem tanto - disse.

O próximo desafio para parte dos atletas brasileiros será em Pequim. Em agosto, será disputado na China o Mundial de Atletismo. A competição será a principal antes dos Jogos Olímpicos do ano que vem.