Mateus Sá conquista bronze no salto triplo no Mundial de Juvenis

28/07/2014 17:54

 Mateus Daniel Adão de Sá conquistou neste domingo 27 a medalha de bronze no salto triplo do Campeonato Mundial de Juvenis de Atletismo, no Estádio Hayward Field, na cidade de Eugene, nos Estados Unidos. O brasileiro obteve a marca de 16,47 (-1.0), assegurando o segundo pódio do País na competição. O primeiro foi a medalha de ouro de Izabela Rodrigues no lançamento do disco.

Para chegar ao pódio, o paulista de Dracena saltou 16,47 m (1.5) em sua segunda tentativa, quebrando o recorde brasileiro da categoria, que pertencia a Gustavo Lima Pinto, com 16,36 m, desde o dia 6 de setembro de 1995, marca mais velha, portanto, do que o saltador, nascido no dia 21 de novembro do mesmo ano.

Mateus obteve uma sequência excelente de saltos. Depois de obter o recorde pessoal na qualificação de sexta-feira, com 16,15 m (1.6), ele superou a marca nada mais do que cinco vezes neste domingo: 16,47 m (1.5), 16,41 m (0.0), 16,18 m (1.0), 16,25 m (0.2) e 16,27 m (1.1), pela ordem.

"Estava confiante. Estava treinando para saltar mais de 16,40 m e felizmente consegui. Achava que poderia ir ainda mais longe", comentou, já com a medalha de bronze pendurada no pescoço. "Agora é dar sequência ao trabalho e tentar melhorar novamente o recorde ainda este ano", prosseguiu o atleta treinado por Nélio e Tania Moura, no Centro de Excelência do Ibirapuera, em São Paulo.

Mateus começou no esporte escolar em Dracena, cidade da mesma região do interior de São Paulo em que nasceu Izabela (Adamantina). Depois treinou em Campo Mourão, no Paraná, e há dois anos está no Conjunto Desportivo do Ibirapuera.

O cubano Lazaro Martinez, com 17,13 m (0.7), e o alemão Max Hess, com 16,55 m (1.4), ficaram com as medalhas de ouro e de prata.

Já na final dos 800 m, Thiago André repetiu a colocação nos 1.500 m, terminando em quarto lugar, com 1:46.06, recorde pessoal. O brasileiro deixou a pista muito feliz. "Este resultado é uma medalha de ouro", comentou. "Vim para fazer um bom 1.500 m e acabei superando todas as expectativas nos 800 m", prosseguiu o fluminense, que tinha 1:47.85 como melhor resultado da carreira.

O corredor lembra que a meta era completar as duas voltas na pista entre 1:46.80 e 1:47.20. "Estou entre os melhores do mundo, numa prova que nunca foi a minha. Vou embora de Eugene cansado, mas muito feliz", afirmou. "Às vezes fico sozinho pensando, olho para as minhas pernas e acho que tem algum motorzinho escondido. Não é fácil correr tantos dias seguidos e manter a concentração

Thiago André acabou sendo também um dos destaques da seleção brasileira, com a participação nas finais das duas provas que disputou em Eugene.

"Ele ainda tem muito que evoluir na condição física. Tem muitas qualidades, mas algumas só serão aperfeiçoadas com o passar do tempo e a sequência de trabalho", lembrou o técnico Adauto Domingues, que orienta o corredor há menos de um ano.

O pódio dos 800 m foi composto pelos quenianos Alfred Kipketer (1:43.95) e Joshua Masikonde (1:45.14), além do sueco Andreas Almgren (1:45.65).

O Brasil terminou o Mundial de Juvenis em 13º lugar no quadro de medalhas entre os 167 países inscritos. O grande resultado foi a conquista do ouro no disco, obtida na sexta-feira 25 porsta Izabela Rodrigues, com 58,03 m, novo recorde brasileiro e a primeira marca no Ranking Mundial de 2014 na categoria até 19 anos.

Além de Izabela, Mateus e Thiago, Lucas Marcelino dos Santos (salto em distância), Núbia Aparecida Soares (triplo), Edivania Araujo (lançamento do dardo) e a equipe feminina do revezamento 4x100 m classificaram-se para as finais.