Maurren vibra com nova fase e 'foge' de picaretas: 'Meu patrocínio é o povo'

26/03/2014 16:23

Com corpo zerado 'até demais', campeã olímpica deixa de lado plano de se aposentar e volta a treinar antes mesmo do fim da 'vaquinha online' já de olho no Pan de 2015.

 

Entre um exercício e outro, Maurren Maggi faz brincadeiras com seus colegas de equipe e abre largos sorrisos. Aos 37 anos, a campeã olímpica do salto em distância corre, levanta mais de 100kg no agachamento, só não pode ainda voar como fez nos Jogos de Pequim 2008. Ela se empolga com o retorno às pistas de atletismo bem antes do fim dacampanha de crowdfunding, o financiamento coletivo para custear seus treinamentos. Depois de um ultimato em janeiro e de quase se aposentar, Maurren agora aposta na "vaquinha virtual" e foge dos "picaretas" para começar uma nova fase na sua carreira.

- Não é começar de novo, é uma nova fase, um novo obstáculo, uma nova determinação. Hoje minha determinação é ficar nas pistas, brigar primeiro com as brasileiras para adquirir confiança, competir junto com elas para depois seguir o caminho. Estou me sentindo muito bem treinando, ganhando confiança. Estou mais feliz a cada dia, me adaptando à pista novamente e querendo voltar rápido ao alto rendimento. O que mudou foi a empolgação. É um treino adaptado, mas é pesado. Muita coisa dá para adaptar ainda - disse a saltadora.

Maurren havia parado de treinar no meio do ano passado, depois de sofrer com uma lesão no tornozelo e de tentar em vão conseguir um patrocínio. Com o sonho de encerrar sua carreira nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, ela chegou a pagar para continuar trabalhando, mas deu um basta na situação e se viu perto de se aposentar em janeiro. Feliz com o sucesso da sua “vaquinha online”, a saltadora não pensa mais em parar, mesmo que seu futuro ainda não esteja tão claro.- Por enquanto, essa história de aposentadoria está de lado. Quando falei que iria me aposentar era porque não dava para ficar pagando para estar dentro da pista. Atleta de alto nível não pode ser desse jeito, ainda mais uma campeã olímpica. O futuro não é claro ainda. Penso sempre que estou fazendo o futuro. Meu desempenho dentro da pista, minha situação financeira e familiar, tudo vai agregar para eu ter um bom desempenho lá na frente - disse Maurren.A campeã olímpica hoje conta com patrocínio de um banco estatal e apoio da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) pelo programa “Heróis Olímpicos”, mas não está no grupo de atletas beneficiados com a Bolsa Pódio pela entidade por terem potencial de conquistar medalhas nas Olimpíadas do Rio. Sem ter as condições de treinos ideais, Maurren decidiu apostar na moda do crowdfunding.

- Eles me procuraram e falaram que era uma iniciativa bacana. Um amigo meu viu e entrou em contato. Eu não levei muito a sério, porque apareceu muito picareta nesse período que fiquei sem patrocínio. Um cara ligou na CBAt e pediu meu telefone para entrar em contato por causa de patrocínio. O cara ficava me ligando de madrugada para me paquerar. Muita gente sem noção. Minha meta inicial era de R$ 30 mil, mas vimos que teríamos apoio de empresas, então aumentamos para R$ 100 mil. Assim eu consigo me manter dentro das pistas por mais tempo caso eu não consiga um patrocínio. Daí eu iniciarei outra campanha.É possível contribuir com valores de R$ 10 a R$ 15 mil, e ela já garantiu mais de R$ 35 mil - muitas empresas demonstraram interesse em doar, mas ainda não confirmaram o pagamento. As doações vão até o dia 23 de abril, mas podem ser prorrogadas por decisão de Maurren, que só recebe o valor total ao fim da campanha.- Eu olho de vez em quando o site, mas não para saber como está a arrecadação. Olho para ver os comentários, que são muito legais. Já queria agradecer a todo mundo. Tem gente que diz que não pode doar, mas manda mensagem. É motivante. Para mim, está valendo. Várias vezes as pessoas me pararam nas ruas ou na pista e falaram: “Vamos lá, Maurren. Estou acreditando em você. Sou seu patrocinador” (risos). Achei isso bacana, porque o povo brasileiro que está me incentivando. Eu vou ter um patrocínio nas mãos, que é o do povo brasileiro. Todos estão sendo muitos solidários com uma atleta campeã olímpica que hoje briga por patrocínio. Para ser de alto nível e para brigar de igual para igual tem de ser bem estruturado - disse Maurren.

A única dificuldade da campeã olímpica em seu retorno é com a balança. Maurren está muito magra. Nada que ela não já tenha enfrentado em férias anteriores. Ao menos as lesões e as dores no quadril já não a atrapalham mais como na preparação para os Jogos de Londres, em 2012.

- Eu perdi músculo. Fiquei só com treininho leve. Isso não leva a lugar nenhum. Emagreci e só perdi músculo. Está tudo zerado. Está até demais - brincou a saltadora.

- Ela só tem as dores gostosas, que são as dos treinos mesmo. Ela está treinando bem. Claro que em um estágio mais atrasado que os demais. Ela tem cumprido tudo que estamos propondo. Vemos a evolução a cada semana. A Maurren tem essa característica. Quando passa um tempo sem treinar, ela perde músculo. Isso não nos preocupa - disse o técnico Nélio Moura.Com o dinheiro arrecadado na “vaquinha online”, Maurren se juntará a muitos dos saltadores de sua equipe para um camping de treinamento em Madri, na Espanha, entre junho e julho. Só depois disso a campeã olímpica estará pronta para competir novamente.

- Não temos data marcada para ela competir, mas vai ser depois que voltar da Europa. Voltar a saltar em treino vai ser em breve. Ela está fazendo educativos, vai para a caixa de areia. Em três semanas ela volta a saltar - disse Nélio.Maurren estuda propostas de patrocínios adquiridas graças à visibilidade da campanha de financiamento coletivo. Com ou sem um investidor, ela não tem grandes planos para este ano. Seu foco está apenas no treinamento para poder chegar bem aos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, no ano que vem, quando ela quer buscar o tetracampeonato do salto em distância - ganhou em Winnipeg (1999), no Rio de Janeiro (2007) e em Guadalajara (2011).

- Vou competir, sim. Mas este ano é para estar de volta, bem preparada e bem estruturada. O foco agora é o Pan.

Maurren diz que conta com o apoio do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, para se preparar rumo às Olimpíadas de 2016.

- Com certeza os Jogos do Rio são uma motivação. Estive com o Nuzman na semana passada, no Rio de janeiro, e ele deixou bem claro que não quer que eu pare. Motivação vem de todo lugar. O COB me ajuda nas viagens. Se eu der um grito, o COB vai estar lá.

Para se classificar para o Rio 2016, a saltadora precisará voltar a fazer marcas próximas aos 7,04m do ouro olímpico de Pequim. No ano passado, quando sofreu com lesões, Maurren não passou dos 6,21m e ficou longe do índice para o Mundial de Moscou (6,65m). No entanto, o técnico Nélio Moura confia no potencial de sua pupila.

- O objetivo dela e o nosso também é este: o Pan. Estamos fazendo esse esforço porque acreditamos nisso. Ela tem uma grande meta para o ano que vem, que é o Pan. E ela quer terminar a carreira dela competindo no Brasil, nas Olimpíadas. Não pensamos em números ainda, mas claro que nosso desejo é que ela se classifique para os Jogos e tenha um resultado para ir à final. Na final, todos são iguais. Um passo de cada vez. O primeiro é se classificar - disse o treinador.

Se Maurren terá nas pistas o mesmo sucesso que está tendo no crowdfunding, é cedo para dizer. Certo é que muito “patrocinadores” estarão na torcida, e a campeã olímpica, esperançosa, faz o convite.

- O primeiro salta vai ser bom. Espero que todo mundo que me ajudou no site esteja na competição. Vou anunciar e quero todo mundo junto.