Ministério e CBAt anunciam os 19 contemplados pela Bolsa Pódio no Atletismo

28/10/2013 19:02

O atletismo brasileiro é a quarta modalidade do calendário olímpico a ter a lista dos atletas beneficiados pela Bolsa Atleta Pódio anunciada pelo Ministério do Esporte. Em parceria com a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), a modalidade contará com 19 atletas no programa que oferece apoio complementar aos esportistas brasileiros durante a preparação para os Jogos Olímpicos e os Jogos Paraolímpícos de 2016, no Rio de Janeiro.

Ana Claudia Lemos (4x100m), Evelyn Carolina (4x100m), Franciela Krasucki (4x100m), Rosangela Cristina (4x100m), Keila Costa (salto triplo), Mauro Vinícius (salto em distância), Thiago Braz (salto com vara), Fabiana Murer (salto com vara), Carlos Bezerra Chinin (decatlo), Augusto Dutra Oliveira (salto com vara), Hugo Balduino de Sousa (4x400m), Pedro Luiz Oliveira (4x100m), Wagner Cardoso (4x100m), Fabio da Silva (salto com vara), Anderson Henriques (400m), Mahau Suguimati (400m com barreiras), Bruno Lins (200m), Jucilene de Lima (lançamento de dardo) e Ronald Julião (lançamento de disco) são os atletas contemplados.

Com o anúncio desta segunda (28.10), passou para 121 o número de atletas que tiveram os nomes anunciados pelo Ministério do Esporte para receber a Bolsa Atleta Pódio, investimento financeiro que faz parte do Plano Brasil Medalhas. Já foram contemplados o judô (27), vôlei de praia (15) e pentatlo moderno (1), além de dez modalidades paraolímpicas – atendendo 59 atletas.

A Bolsa Pódio é um incremento aos investimentos já existentes. Os valores das bolsas são de R$ 5 mil, R$ 8 mil, R$ 11 mil e R$ 15 mil, para atletas de modalidades olímpicas e paraolímpicas individuais. O número de contemplados pode ter variações, uma vez que, para ter direito ao apoio, os atletas devem atender a vários critérios técnicos, entre eles estar situados entre os 20 melhores do ranking mundial de suas provas e comprovar evolução na carreira compatível com a expectativa de medalha nos Jogos Rio 2016.

O Programa Atleta Pódio inclui ainda recursos para a formação de equipes técnica e multidisciplinar, viagens de treinamentos e competições e compra de equipamentos e materiais esportivos.

A bolsa foi anunciada em setembro do ano passado e faz parte do aporte de R$ 1 bilhão adicional em investimentos públicos federais para este ciclo olímpico. A meta é colocar o Brasil entre os dez primeiros países nos Jogos Olímpicos e entre os cinco primeiros nos Jogos Paraolímpicos, em 2016.

Plano Brasil Medalhas
A Bolsa Pódio faz parte do Plano Brasil Medalhas, destinado a apoiar atletas e construir, reformar e equipar centros de treinamento. Ela integra o programa Atleta Pódio e é, ao mesmo tempo, uma nova categoria do programa Bolsa Atleta. O apoio ao atleta inclui pagamento a técnicos e equipes multidisciplinares.

Outra vertente do Plano Brasil Medalhas 2016 é a destinação de recursos para construção, reforma e operação de 22 centros de treinamento, sendo que um deles, em São Paulo, contemplará 15 modalidades paraolímpicas. Também faz parte do plano o apoio de empresas estatais para modalidades coletivas e individuais em formato diferente e adicional ao patrocínio que a maioria delas já dá a vários esportes.

Pistas de atletismo classes 1 e 2 IAAF
O Ministério do Esporte está desenvolvendo um projeto de construção e reforma de pistas de atletismo nas universidades federais. Atualmente, são 13 instituições com pistas em obras ou acabamento. A da UFRN está pronta para inauguração. O investimento chega a R$ 91,6 milhões.

Além dessas, há uma pista na Universidade Estadual de Londrina, com aporte de R$ 7,7 milhões. Recentemente foi inaugurada a pista do Centro de Treinamento Esportivo de Porto Alegre, na qual o Ministério investiu R$ 1,4 milhão. E também está pronta para inauguração a pista de São Bernardo do Campo, construída pela prefeitura, na qual o governo federal aportou R$ 19 milhões.