No AP, ausência de atletas provoca mudanças em disputa de atletismo.

18/10/2015 01:45

Competição ocorreu neste sábado (17) na pista olímpica do Zerão. Participantes tiveram que mudar de categoria para participar de provas.

A 1ª etapa do Campeonato Amapaense de Atletismo 2015 sofreu alterações horas antes de iniciar por causa de ausências na competição, que contava com 112 inscritos. A disputa aconteceu neste sábado (17) na pista olímpica do Zerão, em Macapá.

O motivo da ausência, segundo a Federação de Atletismo do Amapá (FAAp), pode ter relação com a participação de muitos atletas na Corrida do Círio 2015, que ocorre neste domingo (18) em Belém, no Pará.

Categorias foram eliminadas e competidores tiveram que se readequar para poder participar das provas, ficando apenas pré-mirim, mirim e adulto. Para Aldir Dantas, presidente da FAAp, a redução de competidores poderá fazer com que apareça novos campeões.

- Vai aparecer alguns campeões que não seriam fortes candidatos caso estivessem presentes os preferidos. Muitos estarão estreando no pódio e isso acaba fazendo com que queiram cada vez mais o primeiro lugar - ressaltou Dantas.

O tricampeão dos jogos escolares estadual Milton Cardoso, de 17 anos, é da categoria juvenil mas por falta adversário teve que disputar com os adultos nos 100 e 200 metros, onde conquistou o primeiro lugar.

- É a minha primeira vitória nos 100 metros. A gente fica preparado treinando a semana inteirinha. Isso aqui é o resultado de muita batalha e sacrifício do dia a dia, a recompensa de Deus é essa - disse o atleta.

Alessandro Brito é paratleta e também ficou sem concorrente, mas não se intimidou e disputou com os demais participantes no lançamento de dardo e comenta sobre a disputa.

 Na minha modalidade o importante é ter técnica e força - disse Alessandro.

Apenas três clubes puderam participar por estarem com os documentos em dia com a federação. De acordo com o presidente, falta interesse das demais equipes, o que acaba atrapalhando na participação de alguns integranes. Para se legalizar não há burocracia, informou Aldir Dantas.

*Karol Aood com orientação do editor Abinoan Santiago.