Pistorius: vídeo de reconstituição vaza; advogado diz que divulgação é ilegal

07/07/2014 17:21

TV australiana exibe vídeo real com o atleta, sem próteses, mostrando como atirou na ex-namorada em 2013; Brian Webber afirma que material foi obtido ilegalmente.

 

Um vídeo que mostra a reconstituição do assassinato de Reeva Steekamp, ex-namorada de Oscar Pistorius, vazou neste domingo. A TV australiana "Channel 7" exibiu as imagens, com o atleta sul-africano, sem suas próteses, mostrando como atirou e matou a modelo no início de 2013. Os advogados de Pistorius denunciaram a veiculação do vídeo e informaram que a obtenção do material foi ilegal.    

- Queremos deixar bem claro que o material que vem sendo divulgado foi obtido de maneira ilegal e viola o acordo de confidencialidade com o "Evidence Room" - informou em comunicado, Brian Webber, um dos advogados do atleta.De acordo com o advogado, o vídeo foi feito no ano passado por uma empresa de investigação forense dos Estados Unidos, a "The Evidence Room", para a defesa do atleta elaborar uma animação da sequência dos fatos, com o intuito de ajudar no julgamento.Nas imagens, Pistorius aparece andando sem as próteses, de camiseta, e como se estivesse com a pistola que disparou contra Reeva nas mãos. O sul-africano também aparece carregando uma mulher no colo, tirando-a do banheiro, como se fosse o corpo de sua ex-namorada. Segundo a emissora sul-africana "eNCA", Aimee, irmã de Pistorius, foi a dublê de corpo de Reeva na reconstituição.

O campeão paralímpico é acusado de ter assassinado sua namorada em março do ano passado e vem sendo julgado no Superior Tribunal de Pretória, na África do Sul. Enquanto a promotoria quer o aumento da pena e o acusa de ter sido um assassinato proposital, a defesa do atleta busca provar que os disparos foram feitos pois Oscar acreditava que sua casa havia sido invadida por um ladrão. Pistorius está em liberdade sob fiança e, caso seja considerado culpado, pode enfrentar até 25 anos de prisão.

Após um mês de recesso, o julgamento foi retomado na última segunda-feira, com a divulgação de que o atleta não sofre de qualquer desordem mental. Durante os últimos 30 dias, Pistorius compareceu diariamente ao Hospital Psiquiátrico Weskoppies, em Pretória, para a realização de exames e testes para determinar qual era o real estado de sanidade dele quando ocorreu o assassinato de Reeva, em fevereiro do ano passado.