Qual a importância dos corredores "coelhos" em provas de maratona?

10/03/2015 11:14

Atletas ditam o ritmo na frente e ajudam na busca por recordes. Objetivo é evitar que a resistência do ar reduza a velocidade dos corredores de elite.

 
São atletas que vão na frente ditando o ritmo. Atualmente, os recordes de maratona são conquistados com ajuda de "coelhos", e não apenas em disputas diretas. Um dos motivos disso é que a resistência do ar diminui a velocidade dos corredores mais rápidos. Estudos sérios com túnel de vento sugeriram que ficar atrás de outro corredor permite a um atleta de elite correr por até 100 segundos mais rápido em 42km. E para esse nível de disputa, essa diferença pode significar ganhar uma bela premiação ou não ganhar nada.É por isso que competições como a Maratona de Berlim contam com até seis coelhos, marcando o ritmo para os líderes pelo percurso. Os coelhos também garantem certa regularidade nesse ritmo, reduzindo a energia perdida em estratégias táticas, como tentativas de acelerar para deixar um oponente para trás ou para buscar alguém mais a frente. Entretanto, poucos passam da marca dos 32km, deixando seus líderes sozinhos na hora da decisão. Geralmente, os coelhos são contratados para correr em um determinado ritmo até uma certa distância, previamente estabelecidos pelos outros atletas e pela organização da prova.

Em algumas competições, como a maratona olímpica, por exemplo, não pode haver coelhos. Numa situação dessas, o corredor terá que travar a batalha sozinho ou com a ajuda dos companheiros de equipe - eles podem fazer o papel de coelho se for o caso. Além da variável resistência do ar, ter um aliado correndo na sua frente pode ajudar a manutenção do ritmo pretendido com um pouquinho menos de desgaste - o corredor atrás só tem que se preocupar em seguir o ritmo do da frente, economizando um pouco de energia para os momentos decisivos mais para o final.