Roselaine recebe atendimento, mas conclui maratona; etíope vence

30/08/2015 14:23

Michele das Chagas abandona antes da metade da prova. Mare Dibaba cravou 2h27m35 para ficar com o ouro; pódio tem ainda atletas de Quênia e Bahrein.

Uma manhã cinzenta e com nevoeiro marcou a despedida do Brasil no Mundial de atletismo. Mesmo precisando parar duas vezes para receber atendimento médico, Roselaine Benites conclui o percurso de 42,125km em 2h49s28, na 47ª colocação. Quinze atletas não terminaram a prova, dentre elas a também brasileira Michele das Chagas. O título ficou com a etíope Mare Dibaba, que cravou 2h27m35 e segurou o ímpeto a queniana Helap Kiprop no fim. O pódio teve ainda Eurine Kirwa, do Bahrein, tricampeã da Meia Maratona do Rio.

Após cinco dias de céu azul e muito calor em Pequim, o domingo amanheceu com temperatura agradável, mas ar muito seco. Ao longo do trajeto, várias atletas pediram assistência às equipes médicas espalhadas pelas ruas. Roselaine sentiu muita dor no abdômen e parou nos quilômetros 31 e 35, mas buscou forçar para continuar.

 

Senti muita dor aqui (apontando para um ponto na barriga), pensei em parar, mas me atenderam e falei que ia continuar. Vim na raça. Vi muita gente mesmo passando mal, entrando na ambulância. Fiquei assustada, nunca vi tanta gente assim. Não foi por causa do calor porque estava bem agradável para correr. Foi assustador, algumas tentaram voltar, depois paravam. Depois do (km) 35 me senti melhor. Perdia uns 3 minutos em cada atendimento. Eu respirava fundo, caminhei um pouco até aliviar, para depois voltar a correr.

Michele parou antes do quilômetro 15. A atleta sofre com uma hérnia e ainda sentiu fortes dores no tornozelo. Sem condições de continuar, chorou ao desistir da disputa.