Salto que daria ouro olímpico a alemão amputado polemiza futuro do esporte.

24/10/2015 15:20

Técnica do recordista mundial Markus Rehm, que sonha ir a 2016, aposta em um feito histórico: 9,00m. Diretor do IPC vê paralímpicos superiores aos olímpicos em 30 anos.

O salto de 8,40m que rendeu a Markus Rehm o título e o recorde mundial paralímpico pela classe T44, na sexta-feira, em Doha, Catar, teria sido medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres 2012 e Pequim 2008, para atletas sem deficiência. O panamenho Irwing Paladino foi campeão com 8,34m na China e o britânico Greg Rutheford subiu ao topo do pódio nos últimos jogos com 8.31 m. A façanha do alemão de 27 anos, que melhorou em 11cm a sua marca e usa uma prótese no lugar da perna direita, trouxe à tona uma antiga polêmica. 

Competidores paralímpicos poderiam levar vantagem em relação aos olímpicos? Impedido pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF) de competir no Rio 2016, um dos seus maiores sonhos, Rehm acredita que o céu é o limite. E a sua treinadora, Steffi Netrius, que acompanha a sua evolução desde 2008, prevê que o saltador alcance os 9,00m. 

O salto dele foi uma loucura. Comecei a treiná-lo em 2009, mas o conheço desde 2008. Ele saltou a primeira vez comigo 5,60m. Treinamos pesado para ele se tornar forte, e é inacreditável perceber o seu desenvolvimento em poucos anos. Ele está saltando cada vez melhor. Eu olho e penso: "Uau!". E ele sempre me surpreende. O Markus é um atleta muito focado e determinado. Acredito que formamos um bom time. Neste esporte, não há limites para ele. Eu não sei bem, mas, talvez, Markus seja capaz de saltar 9,00m. Nada é impossível - avaliou a técnica, que trabalha ao lado do alemão na cidade de Leverkusen, perto de Colônia. 

Considerado um dos melhores atletas paralímpicos de todos os tempos, Markus nunca escondeu o seu desejo de competir na Olimpíadas.

O diretor de comunicação do Comitê Paralímpico Internacional (IPC), Craig Spence, rasgou elogios a Markus quem considera um verdadeiro fenômeno. 

- O Markus é um atleta extremamente talentoso. Um fenômeno. Ele quebrou o recorde T44 nas Paralimpíadas de Londres 2012 e tem produzido saltos impressionantes. Eu sei o quanto ele treina, e é fascinante ver a repercussão mundial provocada por ele. Saltar 8,40m só atrai mais atenção ao esporte e mostra a todos o que os atletas paralímpicos são capazes. 

Visionário, o dirigente prevê que, em 30 anos, tanto os velocistas mais rápidos do mundo, como os melhores saltadores, sairão do esporte paralímpico. 

- Para mim, não há a menor razão para não termos daqui a 20, 30 anos, um paratleta como o homem mais rápido do mundo, ou a mulher rápida do mundo, ou o melhor saltador. O esporte paralímpico ainda é algo novo. Teremos milhares crianças nos próximos anos sendo inspiradas por atletas paralímpicos. Quem poderá dizer que, no futuro, Markus Rehm não pode ter o maior salto do mundo? Ou que Richard Browne não seja o homem mais rápido do mundo? Eu não duvidaria de nada. Em 20, 30 anos, esta poderá ser a realidade.  

 

Seria interessante sentarmos com a IAAF e discutirmos o assunto. Eu gostaria de mostrar que o esporte paralímpico tem crescido muito nos últimos anos e aproximá-lo do olímpico - contou o alemão, ainda fascinado pelo seu feito na terceira de seis tentativas em Doha:

- Saltar 8,40m era algo que eu sonhava e pude conquistar. Estou muito feliz. Acordei sentindo que seria o meu dia. Felizmente, tudo correu bem para mim. A competição foi incrível. Eu aproveitei bastante o momento ao lado destes atletas fantásticos - completou Rehm, após o salto apenas 1cm abaixo do que fez Greg Rutherford para conquistar o título mundial de 2015 em Pequim, na China. 

No ano passado, Markus competiu no Campeonato Alemão de Atletismo de 2014 e conquistou o ouro no salto em distância. Mas a comissão técnica da seleção paralímpica de seu país optou por deixá-lo de fora do Europeu justamente pela controvérsia apontada pela IAAF de que sua prótese poderia lhe dar vantagem nas competições. A polêmica ainda divide opiniões. 

Em 2008, o sul-africano Oscar Pistorius participar das Olimpíadas de Pequim, mas teve o pedido rejeitado pela IAAF. O paratleta, no entanto, pôde disputar os 400m em Londres 2012, parando na semifinal. O veredicto final sobre a possibilidade de Rehm ir ao Rio será nos próximos meses.