Jucilene Sales garante índice para o Mundial de Atletismo na China

14/04/2015 05:51

Com a marca de 61,23 m, alcançada em competição universitária nos Estados Unidos, a paraibana garantiu o índice para o torneio mundial que acontece em agosto.

 

Sábado de confirmação para a atleta do lançamento de dardo, Jucilene Sales. A atleta de Taperoá que defende o clube paulista BM&F, foi destaque na 13ª edição de uma já tradicional disputa universitária, realizada no Drake Stadium, da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, nos Estados Unidos, e confirmou o índice que garante vaga no Mundial de Atletismo, que acontece em agosto, na China.

Jucilene venceu a disputa do lançamento de dardo, com a marca de 61,23 m. A marca mínima de qualificação para o Mundial de Pequim, exigido pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) é de 61m.

Essa, no entanto, não foi a primeira vez que a atleta que integra a seleção brasileira alcançou o índice para o Mundial. 

- Atingi a marca no Troféu Brasil de Atletismo do ano passado, mas não cheguei a melhorá-la durante a disputa que aconteceu no último sábado. Já consegui atingir a marca 62,89m e aqui, na Califórnia, ainda fiquei atrás dela – explicou Jucilene Sales.

A paraibana ainda está participando de um dos Campings Internacionais de Treinamento e de Competições, organizados pela CBAt, nos Estados Unidos, e só deve retornar ao Brasil no próximo dia 26. Antes de voltar para casa, no entanto, Jucilene ainda encara mais um desafio nos EUA, que acontece no próximo sábado, e que também servirá de preparação para o Mundial. Na agenda de competições, ainda está marcada a disputa do Troféu Brasil de Atletismo 2015, que acontece duas semanas após a atleta desembarcar em solo brasileiro.

Apesar de já ter atingido a marca exigida pela Confederação para ir ao Mundial, Jucilene ainda não tem a vaga completamente garantida.

- Alcancei a marca que me dá direito a ir a Pequim. Só fico de fora se outras duas atletas lançarem (o dardo) mais longe que eu e fizerem o índice.

O risco, no entanto, não tira a confiança da atleta que fez questão de lembrar a proximidade de sua marca nos Estados Unidos com o recorde brasileiro. 

- Estamos sempre trabalhando para melhorar o resultado. Tinha feito o índice ano passado, mas é sempre bom fazer novamente, ainda mais lançar acima de 61 metros, que é uma marca muito próxima do meu melhor resultado e do recorde brasileiro – finalizou.