Usain Bolt é prata no Rio 2016... Em simulação de laboratório dos Jogos

09/04/2015 06:12

Instalação vai simular informações de todas as competições e passar por 200 mil horas de testes para transmissão de dados em tempo real para torcedores e imprensa.

 
O jamaicano Usain Bolt vai conquistar a medalha de prata nos 100 metros das Olimpíadas de 2016, perdendo o tricampeonato olímpico para o compatriota Asafa Powell. Esta não é nenhuma previsão de sites de estatística, mas apenas uma simulação do Laboratório de Testes de Integração dos Jogos, que foi inaugurado nesta quarta-feira, no Comitê Rio 2016. Cerca de 170 pessoas vão operar 1.200 computadores e passarão por 200 mil horas de testes até as Olimpíadas, em agosto do próximo ano. A transmissão das informações em tempo real sobre o que acontece nas competições para o público e para a imprensa está entre as ações operadas pela Atos, empresa de serviços digitais que presta serviço para as Olimpíadas desde os Jogos de Barcelona 1992. O espaço de 1.200 m² no segundo andar do Comitê Rio 2016 é dividido em 54 células, cada uma responsável por reproduzir tudo o que vai acontecer em cada esporte durante a competição: medições e cronometragens, biografias dos atletas, quadro de medalhas, programação, entre outros. Tudo deve estar disponível em tempo real para a mídia e para que os torcedores sejam informados pelos placares eletrônicos das arenas. E pela primeira vez nos Jogos parte dos sistemas de Tecnologia da Informação (TI) será administrada em cloud, espaço de armazenamento que serão providos pela Embratel.   


Outro desafio será manter o sistema seguro contra ataques cibernéticos. Michele Hyron, chefe-integradora  da Atos, diz que alguns riscos de ataques foram identificados em um documento confidencial. 

- Usamos ferramentas para proteger o sistema. Temos um grupo com experiência de outros Jogos já trabalhando aqui no Rio - disse.  Nos eventos-teste, que começam no próximo mês de julho, as células de cada esporte serão deslocadas para as áreas de competição. De acordo com a Atos, o Comitê Rio 2016 garante que as arenas estarão aptas para operar. O Engenhão, um exemplo de local problemático em termos de conectividade, vai receber o evento-teste do atletismo em março de 2016.  


A Atos também será responsável pelos sistemas de recrutamento e treinamento de 70 mil voluntários, a gestão das 300 mil credenciais para acesso às instalações esportivas e o fornecimento de vistos de entrada para membros da família olímpica vindos do exterior - atletas, jornalistas, parceiros comerciais e dirigentes.