Vencedor da Maratona de Boston revela seu sonho: conhecer Pelé

22/04/2014 10:10

Com raízes distante no Brasil, Meb Keflézghi exalta admiração pelo Rei
do Futebol e lembra infância ligada na Itália: "Meu apelido era Pelé"

Pouco mais de um ano após o atentado que vitimou três pessoas e deixou 264 feridos, a Maratona de Boston voltou a ser disputada nesta segunda-feira. O vencedor foi um corredor que nasceu na Eritreia, se naturalizou americano e viveu na Itália, mas que tem uma ligação especial com o Brasil, onde deseja realizar seu sonho: conhecer Pelé. Meb Keflézghi chegou em primeiro lugar, com o tempo de 2h08m37. Prata nas Olimpíadas de Atenas, em 2004, falou sem modéstia e com emoção em entrevista ao SporTV. Além do encontro com o ídolo, comentou a possibilidade de participar dos Jogos do Rio, outro desejo. O maratonista revela que a idolatria surgiu ainda quando ele começou a se interessar por esportes.

- Meu sonho é conhecer o Pelé um dia, porque sou um grande jogador de futebol, meu apelido era Pelé quando era criança na Itália. Então o Pelé tem minha admiração, ele provavelmente foi o primeiro atleta que eu ouvi falar. E se eu conseguir ir para o Rio em 2016, para as Olimpíadas, será o meu sonho estar no Brasil e conhecer o Pelé.Além do Rei do Futebol, Keflézghi também nutre admiração por outros esportistas brasileiros, desta vez em sua especialidade, o atletismo. Em 2004, ele viu Vanderlei Cordeiro de Lima sofrer o ataque do padre irlandês Cornelius Horan enquanto liderava a prova. O americano aproveitou o incidente para ultrapassar o brasileiro e ficar com a prata. O italiano Stefano Baldini foi ouro.

- Joaquim Cruz, que vive em San Diego, que foi campeão olímpico dos 800m, Marilson dos Santos, campeão da Maratona de Nova York, Vanderlei Cordeiro de Lima, bronze em 2004, quando eu ganhei a medalha de prata. Esses são grandes caras que eu conheço. Escute os conselhos deles e você vai correr como eles - disse o fundista.

No feminino, a vitória na Maratona de Boston ficou com a queniana Rita Jeptoo, que levou o ouro ao cravar o tempo de 2h18m57, quebrando o recorde da prova. O evento, que teve mais de 36 mil participantes, ainda contou com uma série de homenagens às vítimas da tragédia ocorrida em 2013.