Wada fará investigação "urgente" para apurar suspeita de doping no atletismo

08/08/2015 12:58

Entidade condena vazamento das informações, mas pretende dar início a investigação independente para apurar denúncias. IAAF garante que vai colaborar com o processo.

A Agência Mundial Antidoping (WADA) pretende dar início a uma investigação independente e "urgente" sobre as suspeitas de doping generalizado no atletismo. Trata-se de uma resposta às denúncias da reportagem publicada no último domingo pelo jornal inglês “Sunday Times” e pela emissora alemã “ARD/WRD”, que obtiveram acesso a 12 mil exames de sangue de cinco mil atletas, dos quais 800 tiveram resultados descritos como "altamente sugestivos para doping". 

A Federação Internacional de Atletismo (IAAF) nega que tenha encoberto possíveis atletas dopados no período entre 2001 e 2012, envolvendo 146 medalhas em Mundiais e Olimpíadas - 55 delas de ouro. O presidente da Wada, Sir Craig Reedie, afirmou que a entidade "lamenta a maneira pela qual os dados foram obtidos" e se preocupa em preservar a confidencialidade das informações. 

Eu peço a todos os atletas ou organizações anti-doping que acreditam que seus direitos tenham sido invadidos ou desrespeitados que compartilhem suas preocupações com a comissão investigativa - afirmou o presidente da Wada.

Reedie já havia se manifestado anteriormente sobre as denúncias, afirmando que a Wada estava "muito perturbada pelas acusações e que irá, mais uma vez, fazer de tudo para ter os atletas limpos em todo o mundo". Por meio de um comunicado, a IAAF disse que irá colaborar com a investigação e concordou em enviar o seu banco de dados completo para a Agência Mundial Antidoping.

As suspeitas recaem sobre a IAAF faltando poucos dias para a realização do Mundial de Atletismo, em Pequim, entre 22 e 30 deste mês. Os documentos que serviram de base para a denúncia da imprensa europeia pertencem à entidade, mas foram vazados através de uma fonte interna. A Rússia teria o recorde na lista, com 80% de seus medalhistas em condições suspeitas. Nenhum atleta teve seu nome divulgado e nem resultado contestado.