Agência russa contesta ter admitido doping: "Frase tirada de contexto"

29/12/2016 11:16

Segundo Agência Antidoping da Rússia, jamais foi confirmada a irregularidade: palavras de diretora tiveram interpretação errada. Mas jornal NYT confirma declaração.

 

A Agência Antidoping da Rússia (Rusada) não demorou a se pronunciar sobre matéria publicada no jornal americano "The New York Times" na qual autoridades russas teriam confirmado um esquema sistemático com participação do Estado para dopar atletas olímpicos do país. Mais especificamente, as palavras da diretora Anna Antseliovich. Segundo a Rusada, a frase da dirigente foi colocada "fora de contexto". No entanto, o NYT confirma a declaração veiculada.

De acordo com a Rusada, Anna Antseliovich apenas comentou com a repórter do jornal Rebecca Ruiz como o professor Richard McLaren, que fez o relatório dando conta do envolvimento estatal no doping da Rússia, mudou os termos para tratar sobre o assunto. O professor não usava mais  "sistema de doping patrocinado pelo Estado", e sim "conspiração institucional", com isso excluindo participação em potencial de altos oficiais russos.

- A diretora-geral comentou que na segunda parte do relatório, que foi publicado no dia 9 de dezembro de 2016, Richard McLaren não utilizou mais as palavras "sistema de doping patrocinado pelo Estado". No lugar, usou "conspiração institucional", excluindo potencial participação de altos oficiais russos. Gostaríamos de deixar claro que a Rusada não tem autoridade para admitir ou negar o fato, pois a investigação está sendo tratada pela Comissão de Investigação da Federação Russa - afirmou uma parte do comunicadoNesta quarta-feira, o correspondente da TV Globo em Nova York, Felipe Santana, em matéria divulgada no Jornal Hoje, disse que o "New York Times" entrou em contato com a emissora e confirmou que a diretoria Anna Anna Antseliovich confirmou sim a existência de uma conspiração institucional para o doping de mais de 1.000 atletas - muitos, inclusive, ficaram fora da Olimpíada Rio-2016, como grande parte do atletismo e a equipe inteira paralímpica (assista ao vídeo acima).

A reportagem do jornal americano traz informações sobre o esquema em que amostras de urina dos atletas eram manipuladas por um laboratório para encobrir o uso de substâncias ilegais. Operação que teria contado com o apoio de membros do Serviço de Segurança Federal - antiga KGB - e do vice-ministro do Esporte do país.

O governo russo vinha negando há meses a existência de um esquema. De acordo com a reportagem do "New York Times", a mudança no tom é motivada pelo desejo do país de restabelecer a confiança de suas instituições esportivas no cenário internacional. Na entrevista, a diretora interina da agência antidoping russa fez questão de ressaltar que os principais líderes do esporte russo não estavam envolvidos no esquema.

No entanto, horas depois da publicação, a Agência Antidoping da Rússia (Rusada) contestou a matéria.

- Infelizmente, a Sra. Ruiz tirou as palavras do contexto, criou uma impressão de que a administração da Rusada admite a existência de tal conspiração institucional de encobrimento doping na Rússia - completou a Agência Antidoping Russa.

Leia na íntegra o desmentido da Rusada:

"Em resposta ao artigo publicado pelo jornal "The New York Times", a Rusada (Agência 'Antidoping da Rússia) afirma que a diretora-geral Anna Antseliovich foi mal interpretada e as palavras dela foram tiradas de um contexto.

Durante conversa entre A.A. Antseliovich e a jornalista Rebecca Ruiz, a diretora-geral A diretora-geral comentou que na segunda parte do relatório, que foi publicado no dia 9 de dezembro de 2016, Richard McLaren não utilizou mais as palavras "sistema de doping patrocinado pelo Estado". No lugar, usou "conspiração institucional", excluindo potencial participação de altos oficiais russos.

Infelizmente, a Sra. Ruiz, tirando as palavras do contexto, criou a impressão de que a gestão da Rusada admitiu a existência de tal conspiração institucional para encobrir o doping na Rússia. Gostaríamos de deixar claro que a Rusada não tem autoridade para admitir ou negar tal fato, já que a investigação do caso é tratada pela Comissão de Investigação da Federação Russa. Além disso, gostaríamos de salientar que a Rusada acredita firmemente que todos os atletas acusados têm o direito inalienável de contestar as acusações.

De nossa parte, reafirmamos nosso comprometimento com os princípios antidoping, e continuaremos a operar conforme o Código Mundial Antidoping e as Regras Antidoping da Rússia."

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!