Após vencer Pampulha, Giovani dos Santos mira título na São Silvestre

09/12/2016 21:21

2016, um ano marcado pela dor de um sonho adiado, mas também por vitórias e conquistas que mostram a superação e determinação do atleta de Natércia (MG).

 

O mineiro de Natércia (MG), Giovani dos Santos, teve um ano com altos e baixos. Mesmo fora da Olimpíada do Rio por causa de uma lesão que o impediu de alcançar o índice olímpico, o atleta não se abateu e deu a volta por cima neste segundo semestre. O último feito foi a conquista do pentacampeonato na Volta Internacional da Pampulha. A prova que chegou à sua 18ª edição consagrou o corredor como o maior campeão da corrida de Belo Horizonte. 

No entanto, segundo o próprio atleta, o foco não estava na Volta da Pampulha. O objetivo maior é subir ao pódio na 92ª Corrida Internacional de São Silvestre, uma das provas mais tradicionais do país que acontece em São Paulo.Meu foco não estava na Pampulha, tanto que faltando 1 Km para fechar a prova, eu desacelerei e soltei um pouco o ritmo. Eu tinha grandes chances de bater o recorde da prova, mas achei melhor não forçar para evitar o desgaste, porque eu estou batalhando duro para vencer a São Silvestre - disse Giovani dos Santos.

A competição que acontece no dia 31 de dezembro reúne competidores profissionais e amadores de vários cantos do Brasil e até de outros países. Prova que para Giovani dos Santos poderá ser um marco na carreira. Segundo o atleta, que já esteve no pódio da São Silvestre em cinco oportunidades, a meta deste ano é conquistar é o primeiro lugar.

- Na verdade eu fui três vezes 5º colocado na São Silvestre, a última vez foi na prova do ano passado. Além disso, fiquei em 4º lugar nos anos de 2010 e 2013, mas para este ano eu quero o lugar mais alto. Para ganhar condicionamento eu tenho feito um trabalho diferenciado. Tenho treinado muito morro, feito um trabalho de força na academia, além do pilates. Em 2015 faltou um pouco de força na subida da Brigadeiro, foi onde eu senti e acabei ficando para trás. Esse ano, eu estou sentindo que estou mais rápido e mais forte, quero ir com tudo para a prova. Fechar o ano com chave de ouro. Será um marco na minha carreira - falou o atleta.

Sonho adiado
O ano de 2016, marcado pela Olimpíada do Rio, era para ter sido especial na vida do corredor. Infelizmente, o sonho de disputar a competição no Brasil foi interrompido. Uma lesão na posterior da coxa, descoberta durante a disputa do Troféu Brasil de Atletismo, em junho deste ano, impediu o atleta entrar na disputa pelo índice olímpico na prova dos 10.000m.Sonho adiado, entretanto a vontade de competir falou mais alto. Com persistência, garra e muita determinação, Giovani encarou a lesão e deu sequência aos treinos. De volta às competições, Giovani entrou ainda mais forte para as provas deste segundo semestre. No início é lógico que fiquei chateado, mas acredito que Deus tem um objetivo para a gente. Tudo tem o momento certo, talvez não era para eu estar nas olimpíadas. A lesão veio para me dar ainda mais força, não perdi o foco em competir. De repente, eu vencendo a São Silvestre vai ser até melhor do que se eu tivesse ido para a olimpíada - confessou o atleta.   

Recuperação
Na primeira competição pós-lesão, ele garantiu o 2º lugar nos 21 Km da Asics Golden Run, em São Paulo, com o tempo de 1h04m42s, ficando apenas 1s atrás de Marílson dos Santos, campeão da prova. Depois disso foram mais cinco pódios em cinco provas que disputou, sendo mais um 2º lugar e quatro títulos de campeão.

Dentre as provas disputadas estão a 27ª Dez Milhas Garoto, em Espírito Santo, a 33ª Corrida Integração de Campinas (SP), a 20ª Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro, a 33ª Corrida do Círio de Nazaré, em Espírito Santo e, por último, a 18ª Volta Internacional da Pampulha. Conquistas que fizeram de Giovani um guerreiro que transformou a dor de ter que abandonar o sonho de uma olimpíada em medalhas de ouro e muitos pódios.Eu treinei ainda mais forte depois de me recuperar da lesão. Tanto é que 15 dias depois eu já estava ganhando o troféu de segundo colocado na Asics Golden Run. Por isso, acredito que a gente não pode desistir e não podemos deixar de sonhar e batalhar pelos nossos ideais - contou Giovani dos Santos.

Trajetória
São pouco mais de sete anos atuando como atleta profissional. Tempo suficiente para o atleta de 35 anos ganhar o reconhecimento no meio esportivo. Giovani nasceu em Natércia, cidade com pouco mais de 4,8 mil habitantes.

Diferente de outros atletas de ponta, ele optou por continuar no interior. Como não há uma estrutura para a prática da modalidade, os treinos são realizados em um trecho da rodovia MG-458, que corta o município. Situação que, segundo o atleta, dá ainda mais motivação para superar os desafios. Em 2020, acontecerão os jogos olímpicos no Japão. O meu sonho foi apenas adiado, enquanto isso eu continuo batalhando para ter condições e chances de ir para uma olimpíada. Tudo acontece no momento certo. Não importa como, mas eu vou continuar treinando e batalhando. Enquanto Deus me der forças, continuarei correndo. 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!